Download Book ò Romance da Raposa ↠ 176 pages Ä Auilino ribeiro


Ebook Romance da Raposa

Download Book ò Romance da Raposa ↠ 176 pages Ä Aquilino ribeiro í ➷ [Reading] ➹ Romance da Raposa By Aquilino Ribeiro ➬ – Gwairsoft.co.uk O Romance da Raposa 1924 é uma narrativa infantil de reuintado virtuosismo estilístico substituindo as ilustrações a preto eEsta edição de Romance da Raposa é assim um regresso à versão original de um livro ue gerações e gerações de crianças leramSobre este livro ver Apesar de ser um livro para crianças é uma leitura muito agradável também para adultos Escrita num género fantástico em ue os animais aduirem características humanas uase em género de fábula Contudo não é um género fantástico vulgar do tipo das histórias Era uma vez sendo um romance mais terra a terra com traços realistasAs peripécias da Salta Pocinhas onde ela prima pela astúcia e engenho levam nos às serras portuguesas polvilhadas de animais típicos de Portugal Invoca um passado saudoso em ue ainda havia raposas e lobos nas nossas florestas As ilustrações não se ficam atrás a dos três lobitos me tinha ficado na memória até hoje Balanço feito coloco este livro uase ao nível do principezinhoNo final do livro há a transcrição de duas peuenas entrevistas com o autor ue ajudam os mais crescidos a perceberem a génese da obraRecomendo tanto aos mais novos como aos mais velhos É uma leitura indispensável

Romance da RaposaEsta edição de Romance da Raposa é assim um regresso à versão original de um livro ue gerações e gerações de crianças leramSobre este livro ver Apesar de ser um livro para crianças é uma leitura muito agradável também para adultos Escrita num género fantástico em ue os animais aduirem características humanas uase em género de fábula Contudo não é um género fantástico vulgar do tipo das histórias Era uma vez sendo um romance mais terra a terra com traços realistasAs peripécias da Salta Pocinhas onde ela prima pela astúcia e engenho levam nos às serras portuguesas polvilhadas de animais típicos de Portugal Invoca um passado saudoso em ue ainda havia raposas e lobos nas nossas florestas As ilustrações não se ficam atrás a dos três lobitos me tinha ficado na memória até hoje Balanço feito coloco este livro uase ao nível do principezinhoNo final do livro há a transcrição de duas peuenas entrevistas com o autor ue ajudam os mais crescidos a perceberem a génese da obraRecomendo tanto aos mais novos como aos mais velhos É uma leitura indispensável

Pdf ê Romance da Raposa ¿ Aquilino Ribeiro

Romance da Raposa ¶ O Romance da Raposaé uma narrativa infantil de reuintado virtuosismo estilístico substituindo as ilustrações a preto e branco ue foram utilizadas Rom A Salta Pocinhas foi a primeira personagem da literatura impressa ue conheci Durante os meus cinco anos de analfabetismo a RTP exibia a série animada baseada no livro e tinha também uma hoje anacrónica cassete com as músicas da mesmaO Romance da Raposa é um livro para crianças ue falam português sem igual pois foi escrito pelo maior cultor desta língua ue o século vinte teve o privilégio de conhecer Ainda hoje Auilino Ribeiro me faz por vezes ter ue consultar o dicionário uem me dera ter sido obrigado a ler este livro na escola Pdf ê Romance da Raposa ¿ Aquilino Ribeiro

Aquilino Ribeiro ¿ Romance da Raposa Kindle

Aquilino Ribeiro ¿ Romance da Raposa Kindle Ance da ePUB #199 a partir dos anos pelas originais a cores da autoria de Benjamim Rabier numa solução plástica ue se adeua na perfeição à fábula O Romance da Raposa de Auilino Ribeiro 1924 era uma das minhas obras favoritas de infância Há muitos anos ue não pegava no livro pois nunca cheguei a tê lo tinha lido uma edição da biblioteca da escola Havia um professor com barbas ue ficava por vezes de serviço nessa biblioteca e me recomendava livros Foi graças a ele ue fiuei a conhecer as Crónicas de Narnia e lembro me de ele comentar alguma coisa uando eu ia reuisitando o Romance da Raposa Nunca soube o seu nome mas aui fica o agradecimento ❤Como disse há muitos anos ue não pegava num exemplar do Romance da Raposa É ue eu não ueria comprar a edição nova ue me perdoem os autores da nova adaptação e a editora ueria a edição antiga com as ilustrações a preto e branco adaptadas dos originais a cores de Benjamim Rabier ue tanto me apaixonaram em criança Andava a namorá la há uns tempos mas era tão cara Assim uando encontrei o livro por acaso numa feira de velharias ao preço da chuva o meu primeiro gesto foi pega lhe e beijá lo Juro ue o fiz O vendedor deve ter achado ue era maluca Trouxe o livro para casa e deixei o a marinar enuanto terminava outra leituraE então tive uma surpresa A dedicatória Eu já não me lembrava da dedicatória com certeza porue não fez sentido para mim em criança Mas agora à luz de todos estes anos dedicados a tentar compreender a literatura para a infância esta dedicatória foi como uma nova prenda e confesso ue me emocionei ao lê la Vou ter de a citar na íntegra porue é em si uma lição“AníbalAs aventuras maravilhosas da Salta Pocinhas – raposeta pintalegreta senhora de muita treta – contei tas sentado tu nos meus joelhos Contando tas veio me ideia de as escrever Além de inspirador colaboraste com teus silêncios perguntas e interrupções na frágil meada ue mais não fosse só por este título o livrinho teria de levar o teu nome Ao percorrer estas páginas nos teus olhos em flor não virão brincar fadas e duendes bons gigantes e princesinhas Tão pouco ante eles se erguerão aueles palácios encantados ue por serem de ouro e pedras finas concebidos para satisfazerem a todos os desejos tão diferentes são dos da terra ue ueres no reino dos bichos não há nada disto nunca houve O doce mundo de ilusões ue o homem criou reservou o para figurantes riscados sim pela fantasia mas sempre à sua imagem e semelhança Os chamados irracionais ali não têm ordem de entrarEm harmonia pois com as leis da poesia e da ciência natural não fiz da raposa princesinha Personagem histórica para mais era meu dever não falsificá la Representa tal como vem da fábula no guinhol com os outros bichos a todos os uais dei voz com licença de mestre Esopo E dei lhes voz para melhor manifestarem o ue são e nunca para com eles aprendermos a distinguir bem e mal aparências ou estados pouco importa atribuídos exclusivamente ao rei dos animais como nos jactamos de ser Se ao fim de cada jornada bateres as palmas dar me ei por largamente recompensado Basta ue te recreies como no jardim zoológico para ambos não perdermos tempo Aí fica meu homem no teu sapatinho de natal esta peuena prenda Aceita a com os meus beijos de pai ue ao menino Jesus vou pedir perdão do pecado pois ue a raposa é matreira embusteira ratoneira e ele apenas costumava brincar com pombas brancas e um branco e inocente cordeirinho”Porue estamos perante um livro para crianças a sua importância pode ser erradamente descartada pelos leitores adultos Um erro passível de ser cometido apenas por uem nunca leu O Principezinho ou a O Gato Malhado e a Andorinha SinháCitando W H Auden “There are good books which are only for adults because their comprehension presupposes adult experiences but there are no good books which are only for children” Sim este artigo vai ter muitas citações É ue estamos perante algo ue adoro mas ue acredito ue possa transcender ainda a minha compreensãoPara melhor compreensão da relevância da obra vou citar a Bárbara Soares no seu projecto de mestrado “O Romance da raposa Uma edição anotada para crianças” “esta permanece uma obra única no panorama literário português para crianças e jovens pela riueza do vocabulário empregue pela variedade de recursos estilísticos usados pela irreverência da protagonista e pelo animado diálogo ue estabelece com a tradição literária fabulística e com os contos populares portugueses”A história cativa precisamente porue não é nova O mundo está cheio de fábulas sobre raposas manhosas Mas a maneira como está escrita não é apenas familiar mas também caricata divertida por vezes mórbida Honesta A morte dos animais não é embelezada ou escondida As coisas são tratadas como são Este tipo de honestidade é cada vez mais rara no mundo da literatura infantil e faz as crianças sentirem ue estão a ser tratadas com respeito ue o autor pensou “isto é capaz de ser triste ou pesado mas eu sei ue tu já tens maturidade para lidar com isso” Fazemos cada vez menos isto às nossas crianças e por isso têm cada vez mais dificuldades em lidar com emoções negativas ou complexas Acho da maior importância ue este género de história continue a ser contada uem sabe não tentarei eventualmente aprender com o mestre e escrever uma história tambémO livro termina com duas entrevistas distintas a Auilino Ribeiro Concorde ou não com a totalidade das respostas de Auilino sou grande defensora dos contos de fadas por achar ue têm precisamente as ualidades ue lhes nega estas entrevistas são elas próprias uma lição Por achar ue são dignas de citação mas não as ter encontrado em lado nenhum pela internet passo a transcrever “Teorias do autor acerca de literatura infantil e dos seus dois livros neste géneroAuilino Ribeiro publicou para as crianças “Romance da Raposa” e “Arca de Noé 3ª classe” – uais os assuntos ue escolhe para os seus livros infantis– Os meus assuntos vou buscá los à história natural racionalizando os Nós inventamos para explicar a mecânica da nossa inteligência esta palavra mágica razão Ao complexo de fenómenos de ue o nosso cérebro é teatro preside esta espécie de deusa ou melhor fada ue mais não seja é um expoente Para os animais o instinto é a origem e faculdade prima dos seus actos Mas eu por experiência tenho verificado ue há actos da vida animal o homem à parte ue superam o âmbito de tal potência Ora são estes actos ue eu transponho humanizo no ue imagino tais bichos movidos pelos mesmos móbiles vitais ue nos animam a nós A raposa é uma personagem histórica No romancinho ue escrevi costeio a sua crónica o mais livremente e originalmente ue posso não esuecendo as ualidades ue lhe são notórias e derivam das condições de luta e dos dons com ue a natureza a dotou ardil sagacidade audácia O meu livro tende a mostrar às crianças a ue me dirijo acima de dez anos o mecanismo interno da astúcia um pouco a astúcia de Ulisses havida sob determinados aspectos como boa e sempre admirável e por extensão a velhacaria social Prefiro ue se conheça a hipocrisia a ue nos surpreenda tal a víbora escondida num tufo de ervas ou mesmo de flores uando pomos o pé Claro ue procurei contar a história de tal vivente pela forma mais amena e empregando tons cor de rosa Esta é a história da raposeta pintalegreta senhora de muita treta Na Arca de Noé ue se dirige às crianças a partir dos sete anos também me ocupei da bicharada essa ue ocupa a 3ª classe o grilo com a sua caixa de música às costas o saloio e a saloia o macaco o cão o porco o coelho o elefante o burro o galucho a vaca etc etc – uando escreve para as crianças tem a preocupação da idade delas – Sim tenho a preocupação da idade e com isso a das ideias ue expendo e em grau imediatamente inferior a preocupação do vocabulário Se escrevêssemos apenas com as palavras ue a criança emprega e de ue sabe o significado medíocre seria o nosso modo de expressão A leitura duma página é um aprendizado A criança vai se recreando e aprendendo Uma palavra ue ignora desde ue pertença bem entendido ao nosso glossário uotidiano é um obstáculo ue vence penetrando lhe o sentido por intuição natural A evolução mental da criança corresponde à evolução mental do homem através das idades a partir do limpo terciário – ual o seu livro infantil ue obteve maior êxito – O meu livro infantil de êxito foi o Romance da Raposa A Jane Bensaúde devo a honra desvanecedora embora imerecida de considerá lo uma obra prima É evidente ue a minha personagem tem este encanto existir ser conhecida e eu pôr à vista a sua relojoaria íntima engenhosa e arteira e cada criança admirar nela as habilidades da nossa espécie para subsistir e impor se na natureza ue não tem simpatias especiais para nenhum dos seus seres Os contos de fadas a meu ver representam um perigo neste nosso mundo de hoje tão realista Prefiro predispor as crianças para a vida da luta ue para o sonho e a idealidade abstracta sem ramo em ue a ave azul ponha o pé – Dá lhe cuidados a escolha do ilustrador – Tive dois ilustradores extraordinários para os meus livros um Mestre Benjamin Rabier francês o primeiro lápis de todas as grandes revistas parisienses da especialidade ue expressamente fez os desenhos a cores Custaram uma fortuna ao meu sempre saudoso e uerido editor Júlio Monteiro Aillaud O outro foi um rapazinho a sair da escola Jorge Matos Chaves hoje aruitecto ilustre ue pôs na Arca de Noé tudo o ue lhe sugeria a sua imaginação fresca colorida e original– ue pensa das ilustrações dos seus livros – Penso muito bem das ilustrações dos meus livros ue suponho sob certos aspectos superiores ao texto – ual a finalidade ue o move ao escrever para crianças – Não tenho uma finalidade objectiva restrita visto ue o escopo é múltiplo Mas em suma procurei recrear a criança educando a moral e socialmente sem lhe meter na mão os horríveis compêndios de tais disciplinas Suponho ue escrever para crianças é uma peuena arte bafejada por um Espírito Santo peueno e zombeteiro ue não será benéfico para toda a gente nem porventura para mim – O ue pensa V Exª da literatura infantil tal como ela está a ser conduzida no nosso país– Estou pouco ao corrente do ue se passa neste sector da vida literária Mas a avaliar pelas montras dos livreiros e pelos anúncios temos messe grada Suponho ue há duas ilusões a considerar às espaldas desta actividade ue seja rendosa e ue seja tarefa fácil uanto a réditos é uma uestão de natureza particular e ninguém tem nada com isso; uanto à elaboração literária muita gente de bem pode ser induzida a erro perdendo o ensejo de dar melhor emprego às suas faculdades Nada mais fácil e impressionável ue o cérebro da criança Tudo o ue ali tocou fica assinalado para sempre Para ue povoar lhe a imaginação com coisas absurdas com coisas sem graça com cocas e teias de aranha ue entenebrecem o entendimento – É de opinião ue se introduza na literatura infantil o sobrenatural e o maravilhoso em decalue da forma simples e objectiva como a criança vê a vida – O maravilhoso desenvolve a imaginação e as faculdades da alma mas o sobrenatural é um domínio vedado em ue é de boa prudência colocar à entrada este cartel perigo de morte Bem sei ue todos nós tivemos à volta do berço essa farândola negro salitrosa de bruxas lobisomens duendes diabinhos e almas penadas Mas não nos custou pouco varrê la dos nossos sonhos depois de esvaziada do conceito da realidade – Contudo o maravilhoso e o sobrenatural– Bem entendido ue estabeleço distinção entre maravilhoso e sobrenatural uando os dois mundos se podem reduzir a um só Seja como for há o maravilhoso inofensivo e o maravilhoso tóxico No primeiro instalemos as fadas as mouras os gnomos elfos e anões em sua maioria importados ue a nossa mitologia infantil é pobrezinha não é fácil dizer poruê No segundo as feiticeiras e os génios maus Também Anatole France ue escreveu um delicioso livrinho infantil achava bom ue se povoasse o sobrecéu dos berços com divindades risonhas e aladas Perguntamo nos se a criança tem necessidade de evasão como as criaturas de idade e batidas pelo uniforme pesadume das coisas Por minha parte uero crer ue o mundo gravita em sonho e mistério Cada partícula da vida encerra um conto de fadas Não é preciso inventá las Os brinuedos de Nuremberga são de resto tanto mais apreciados pelos meninos uando melhor reproduzem o real ursos de feltro cavalos de pau pintainhos de lata ue andam e vão bicando um imaginável grão de painço Eu sou um escritor realista mas nos contos para os peueninos aprovo e cultivo o simbolismo – Das três modalidades de literatura poesia conto e teatro ual julga mais apta para prender o espírito da criança realizando o duplo fim instrutivo e recreativo – Poesia conto e teatro são por por igual recomendáveis uanto a formar a psiue da gente peuenina A poesia sob a forma de lengalenga sola sapato rei rainha vão ao mar buscar sardinha etc O conto era uma vez simples e claro como arroio da montanha a correr sem pegos sem mais profundidade ue a ue permite ver a areia do fundo com flores na margem e a sua rã a coaxar como diversão O teatro sob a forma de guinhol o guinhol tosco e informe do tempo do rei ue rabiou com glote mecânica e moca numa palavra o teatro dos cinco dedos de ue fala o autor do “Petit Pierre” antes de lhes desenhar nas polpas olhos boca e nariz A imaginação infantil precisa de campo para se desenvolver à vontade vagos para preencher segundo a tendência própria linhas para cobrir a sabor da sua retina É por isso ue o Teatro dei Piccoli na sua perfeição deixa as crianças completamente indiferentes ao contrário do velho e primário Roberto – uando será a literatura infantil enriuecida com nova obra de V – Para os meus dois filhos escrevi “Romance da Raposa” e “Arca de Noé 3ª classe” ue em dia de Natal meti no sapatinho de cada um Acabei para estas alegrias puras Agora só manipulo drogas complexas para as pessoas grandes Dizia Mme de Stael Si vous voulez ue je vous aime rendez moi l’âge des amours E é o caso pavoroso”